25 maio2022

    Comendo com Mari Hirata, por Josimar Melo

    Leia também

    Contagem regressiva para o show de Maria Gadú em Aracaju

    A cantora Maria Gadú está de volta a Aracaju...

    Supermercado realiza Festival de Marcas Exclusivas até dia 31 de maio

    São mais de 100 itens, incluindo alimentos, bazar, higiene...

    Um brinde ao café

    No dia Dia Nacional do Café, que tal celebrar...

    Rancho de São João RioMar

    RioMar Aracaju abre a temporada de festejos juninos e...

    Como pensar um roteiro gastronômico? Uma possibilidade: o trajeto de lugares visitados com alguém.

    Está difícil não pensar na chef, professora e minha irmã postiça Mari Hirata (1959-2021).

    Ceifada pelo câncer, ela nos deixou —amargurados, órfãos— no último domingo, 30. Por quarenta anos, quase todos com ela fora do Brasil, estivemos juntos, sempre que possível à mesa ou ao fogão

    Começamos comendo em São Paulo. Eu, editor do jornal trotskista O Trabalho, ela, assistente de diagramação. Ambos gulosos e, quando a madrugada apontava, famintos.

    “Minha mãe me deu um dinheirinho…”, balbuciava ela às vezes. “Hoje recebi salário”, às vezes era eu. E corríamos para um intervalo gourmet ali ao lad