17 maio2022

    Cultura Alimentar é resistência!

    Leia também

    Uma população em conexão com o seu território, consciente de sua biodiversidade, saberes e práticas e conhecedora dos seus sistemas agroalimentares possui as ferramentas necessárias para a sua sustentabilidade e o acesso a alimentos bons, limpos e justos.

    Existir é um desafio para os povos originários do Brasil. No cenário atual, enfrentam conflitos e ameaças constantes e sentem diretamente os efeitos devastadores do avanço descontrolado do modelo de desenvolvimento produtivista e depredatório, que vem modificando radicalmente seus modos de vida. 

    Diante dessa perspectiva de vulnerabilidade e considerando o relevante papel da juventude na concepção de narrativas inovadoras e regenerativas, o projeto “Território e Cultura Alimentar no Ceará” vem atuando junto ao Povo Tremembé da Barra do Mundaú, no município de Itapipoca, na redescoberta das raízes do gosto e dos modos de fazer dessa comunidade tradicional do nordeste brasileiro.

    A chegada do Slow Food Brasil e do AKSAAM com o projeto neste período de pandemia nos possibilita olhar com mais atenção para o nosso território e os conhecimentos presentes em cada aldeia e família Tremembé, além de nos despertar um desejo de preservar e fortalecer esses saberes tradicionais da nossa cultura.”  (Mateus Tremembé, jovem liderança indígena e articulador local do projeto)

    A construção do inventário participativo da cultura alimentar do Povo Tremembé da Barra do Mundaú, localizado a cerca de 155 km de Fortaleza, capital do estado, em um período crítico da pandemia do covid-19, express