25 maio2022

    A onda das bebidas não alcoólicas

    Leia também

    Contagem regressiva para o show de Maria Gadú em Aracaju

    A cantora Maria Gadú está de volta a Aracaju...

    Supermercado realiza Festival de Marcas Exclusivas até dia 31 de maio

    São mais de 100 itens, incluindo alimentos, bazar, higiene...

    Um brinde ao café

    No dia Dia Nacional do Café, que tal celebrar...

    Rancho de São João RioMar

    RioMar Aracaju abre a temporada de festejos juninos e...

    Um dos efeitos da pandemia é ter provocado um aumento gigantesco no consumo de álcool. Nos Estados Unidos, houve crescimento de até 34% na venda de bebidas alcoólicas.

    Houve também uma explosão do uso de aplicativos de entrega para compra de álcool. Alguns relatando crescimento de até 350%. No entanto, há uma onda vindo forte contrária a essa tendência: o fenômeno do sóbrio curioso, ou sober curious, no original em inglês.

    Há um mercado gigantesco se formando para atender a essa nova tendência de pessoas que buscam produtos sem álcool. Depois do boom das cervejas artesanais, surge no horizonte a explosão das bebidas sem álcool.

    Esse mercado era até há pouco praticamente desatendido. Quem não queria beber tinha a opção de pedir basicamente água, suco ou refrigerante. Isso está mudando radicalmente.

    Há uma geração de marcas novas oferecendo bebidas de todos os tipos para quem quer ir para um bar, uma balada ou um encontro social e não beber (ou beber menos). São bebidas feitas para adultos que buscam manter o prazer em eventos sociais sem os efeitos negativos do álcool.

    Muitas delas usam ingredientes adaptogênicos (que ajudam o organismo a lidar com estresse). Dentre eles, gengibre, ginseng, manjericão-santo, turmérico, astragalus, raiz-de-outro e centella-asiática, dentre outros.

    Vendidas em garrafas similares às de cerveja artesanal e com identificação cultural sofisticada, são úteis para quem quer dizer não à próxima rodada de bebidas sem ter de partir para o ostracismo do refrigerante ou suco.

    Mais do que isso, são bebidas que mantêm a margem de lucro dos bares, que conseguem ganhar dinheiro tanto de quem quer beber álcool quanto de quem não quer.

    A ideia de sóbrio-curiosidade surgiu no livro da escritora norte-americana Ruby Warrington. Seu título completo é peculiar: Sóbrio-Curioso: Dormir Bem, Ter Mais Foco, Presença Ilimitada e uma Conexão Mais Profunda que Espera Todas as Pessoas do Lado Oposto ao Álcool.

    O livro foi lançado no começo de 2019. No entanto, foi só durante a pandemia que a mensagem de Ruby passou a ter impacto gigantesco. Pessoas que entornaram o caldo durante esse período passaram a buscar alternativas para retomar a vida social sem os efeitos do álcool.

    É exatamente nisso que as marcas sober-curious apostam. O marketing dessas empresas mostra pessoas falando coisas como: Quer fazer exercícios amanhã de manhã? Quer ter uma aparência melhor? Quer viver um dia sem ressaca? Então peça uma bebida sober curious.

    O movimento tem sido bem recebido também por quem tem problemas com álcool, os sober serious. Passa a existir agora uma alternativa adulta, socialmente aceita e até gourmet para quem não pode beber (e não só para quem opta por não beber).

    Perfis no Instagram como o @fucking_sober têm feito um ótimo trabalho em subverter de forma cool a luta contra o alcoolismo, tornando essa própria luta e a ideia de sobriedade cool.

    Da próxima vez que for a um bar ou um restaurante, vale conferir para ver se o cardápio já foi atualizado para incluir uma seção de bebidas sober curious.

    Reader

    era Hits da MTV

    é Hits musicais to TikTok

    vem Hits musicais do Roblox


    LINK PRESENTE: Gostou desta coluna? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.



    Fonte feed: Via Feed Folha de S.Paulo