segunda-feira, março 4, 2024

Ecossistema cervejeiro cria cervejas especiais pela causa LGBTQIA+

Leia também

Guylian traz novidade em sua linha para Páscoa

A marca de chocolate belga aumenta seu portfólio com...

Inscrições abertas para a Meia Maratona 21k Sergipe Run

Consolidada como uma das mais importantes corridas de rua...

10ª Edição do Café com Case discute o direito à cidade

Organizado por estudantes do quarto período do curso de...

Durante este mês, marcado pela mobilização do movimento, e que termina em 28 de junho, Dia internacional do Orgulho LGBTQIA+, as cervejarias que já confirmaram participação no projeto começarão a desenvolver sua própria receita de estilos, famílias e ingredientes diferentes. É esperado que dezenas de receitas ganhem o rótulo especial do projeto e sejam vendidas em todo o Brasil. As cervejarias irão reverter parte do lucro obtido com a venda a instituições de acolhimento, proteção e inclusão da população LGBTQIA+, tirando apenas os custos operacionais.

Walter Costa, designer do projeto visual da campanha e analista de marketing da Cervejaria Octopus, que deu início ao movimento, explica:

“Entendemos que o mais importante do projeto é abrir e garantir espaço para debater questões que atravessam a experiência de ser LGBTQIA+ no Brasil. Nosso objetivo é unir o maior número de cervejarias ao Brewing Love Project, criando um movimento colorido, plural e agregador, que reforça a diversidade e abraça a singularidade.”

Marjorie Inoue, coordenadora de produção da Cervejaria Unicorn, conta:

“Para nós, a importância da representatividade no mundo cervejeiro com a comunidade LGBTQIA+ é que, neste mercado predominantemente heteronormativo, é preciso romper barreiras para que consigamos criar um ambiente e um futuro inclusivo, mostrar para todos a importância de enxergar consumidores e profissionais como semelhantes. Existe um valor significativo de se posicionar, cada vez mais. Esperamos que cada pessoa que virá na sequência do que estamos fazendo aqui neste projeto sinta que estamos num ambiente muito mais diverso”

Para a Ambev, esse é um movimento essencial.

“Essa iniciativa mostra que o mercado cervejeiro, embora tenha um longo caminho a percorrer, está aberto para todas as pessoas que desejam fazer parte dele. O respeito deve sempre prevalecer”, afirma Paula Guedes, Mestre-Cervejeira e Gerente de Consumer Science da Ambev, além de integrante do Lager, grupo de diversidade da companhia, que desde 2016 discute as melhores práticas em ações de inclusão no trabalho.

A expectativa é que até o final de junho as primeiras cervejas envasadas já sejam disponibilizadas aos consumidores por canais de venda online de cada cervejaria e pontos de venda espalhados pelo país. O projeto é atemporal e estará disponível para participação de toda comunidade cervejeira ao decorrer do ano, para que mais interessados possam ingressar nessa iniciativa. Espera-se, assim, que o número de participantes só cresça nos próximos meses. Detalhes sobre onde encontrá-las e ONGs ou movimentos que serão beneficiados podem ser encontrados pelo site da Cervejaria Octopus e redes sociais das marcas participantes.

Fonte feed: Via Feed Beer Art