24 maio2022

    Jovem tem doença da ‘urina preta’ após comer comida japonesa em Goiás

    Leia também

    Rancho de São João RioMar

    RioMar Aracaju abre a temporada de festejos juninos e...

    Influenciadora digital Ludja Victória participa do “Sal e Brasa Convida”

    A influenciadora digital Ludja Victória foi a convidada da...

    Influenciadora digital Giulia Thalia conhece as delícias do Mirante

    A influenciadora digital Giulia Thalia foi conhecer as delícias...

    Tac Tacs chega ao RioMar Aracaju trazendo o parque ‘A Fazendinha’

    Criados pelo Grupo Blitz, empresa especializada em gerar trabalho...

    Após comer sashimis de tilápia e salmão em um restaurante da cidade de Goianésia, em Goiás, a jovem Kelly Silva, de 27 anos, desenvolveu a Doença de Haff, conhecida também como doença da “urina preta”, e teve de ser internada e uma Unidade de Tratamento Intensivo em Goiânia, capital do Estado.

    Segundo sua família, Kelly jantou no estabelecimento em 23 de junho e, pouco tempo depois, começou a passar mal, apresentando sintomas como vômito. Seu estado de saúde piorou no dia seguinte, com o enrijecimento dos músculos e fortes dores no corpo.

    Segundo o site D24am, seu estado de saúde é grave, mas estável. O tratamento inclui sessões de hemodiálise, e ela não tem previsão de alta médica.

    A origem exata da Doença de Haff ainda é misteriosa, mas pesquisadores encontraram um ponto comum em todos os casos: todos os pacientes ingeriram pescados, geralmente de água docedoce.

    A hipótese mais aceita é que a doença seja causada por algum tipo de toxina, ainda não identificada, que contamine o alimento e provoque o quadro. Os sintomas aparecer de 2 a 24 horas após o consumo de peixe ou crustáceos, mesmo cozidos.

    Além das dores e da coloração escura da urina, a doença pode causar insuficiência renal. As sequelas mais graves costumam acontecer caso quando o paciente não receba cuidados imediatos.

    (*) Da redação da Menu

    Fonte feed: Via Feed Revista Menu