25 maio2022

    Morre dono de restaurante que inventou tiramisù

    Leia também

    Contagem regressiva para o show de Maria Gadú em Aracaju

    A cantora Maria Gadú está de volta a Aracaju...

    Supermercado realiza Festival de Marcas Exclusivas até dia 31 de maio

    São mais de 100 itens, incluindo alimentos, bazar, higiene...

    Um brinde ao café

    No dia Dia Nacional do Café, que tal celebrar...

    Rancho de São João RioMar

    RioMar Aracaju abre a temporada de festejos juninos e...


    BBC News Brasil

    Ado Campeol, apelidado de “pai do tiramisù” pela mídia italiana, morreu aos 93 anos. Ele era o dono do Le Beccherie di Treviso, um restaurante no norte da Itália onde a famosa sobremesa foi inventada por sua esposa e um chef.

    O prato, com biscoitos embebidos em café e mascarpone, foi adicionado ao cardápio em 1972, mas nunca patenteado pela família. Desde então, virou um ícone da culinária italiana, adaptado por chefs de todo o mundo.

    Há longas disputas sobre a origem do tiramisù, incluindo alegações de que ele foi servido como afrodisíaco em um bordel na cidade de Trevisio, no norte da Itália. No entanto, é amplamente aceita a história de que a receita foi desenvolvida no restaurante do Campeol.

    Luca Zaia, governador da região do Vêneto, está entre os que prestaram homenagem. Ele escreveu no Twitter que a cidade havia perdido “mais uma estrela na história da comida e do vinho”.

    Alle Beccherie foi inaugurado pela família de Campeol em 1939, e ele assumiu o negócio no fim da Segunda Guerra Mundial.

    Segundo o chef Roberto Linguanotto, co-inventor da sobremesa, o prato foi fruto de um acidente durante a preparação do sorvete de baunilha.

    Linguanotto colocou um pouco de queijo mascarpone em uma tigela com ovos e açúcar e, depois de notar o sabor agradável da mistura, contou à esposa de Campeol, Alba.

    A dupla então aperfeiçoou a sobremesa, adicionando biscoitos embebidos em café e polvilhando com cacau —chamando-a de “tiramisù”, que significa algo como “puxe-me para cima”.

    O prato apareceu na edição impressa em 1981 da Veneto, uma publicação local dedicada à comida e ao vinho, e agora é uma das sobremesas mais conhecidas da Itália.

    Variantes de tiramisù apresentam álcool como rum ou marsala, mas a receita original – certificada pela Academia Italiana de Cozinha em 2010 – era sem álcool porque era destinada a ser adequada para crianças.

    Fonte feed: Via Feed Folha de S.Paulo