segunda-feira, abril 15, 2024

Panetone salgado é o arroz com passas do mundo invertido, por Cozinha Bruta

Leia também

Fábio Snoozer apresenta-se neste domingo no Shopping Jardins

Músico é atração do projeto Viva Música O cair da...

Trupe Guaraná apresenta show de mágica neste fim de semana

Espetáculos gratuitos acontecem neste sábado e domingo, 13 e...

Roupa Nova anuncia sessão extra em Aracaju no dia 22 de maio

Após os ingressos do show se esgotarem com apenas...

Um a cada três bares em Sergipe opera no prejuízo; saiba os motivos

A pesquisa é da Associação Brasileira de Bares e...

Panetone salgado não é exatamente a última novidade sobre a face da Terra: já há alguns anos, a quase infinita paleta de sabores estranhos inclui coisas como bacalhau e calabresa.

Novo é o tamanho do investimento, este ano, do maior fabricante do Brasil na promoção do panetone salgado. Pela primeira vez, o estrambótico quitute –de sabor parmesão– é empilhado às dezenas nos corredores dos supermercados.

Como todo assunto fútil, o tal panetone gerou algum ruído nas redes sociais. Uns adoraram, outros acharam nojento. O comentário mais recorrente: se o panetone é salgado, é simplesmente pão.

Embora o conceito de panetone salgado não me apeteça demais –nenhum panetone, por sinal–, fiquei curioso. Comprei o negócio.

Antes de qualquer outro juízo: definitivamente não é pão. É panetone, tem massa de panetone, esponjosa, úmida.

E tem cheiro de panetone, o que deixa tudo muito estranho, porque também é salgado de verdade.

Trata-se de um produto industrial ultraprocessado, com todos os conservantes, antiumectantes e estabilizantes de praxe. Resta saber quais são os aromatizantes empregados para dar alma de panetone à massa salgada.

É de fato esquisito, já disse isso?

Mas talvez nos acostumemos.

Afinal, a época natalina é a suruba dos doces com os salgados. Peru com fios de ovos. Tender à Califórnia. Farofa com frutas secas.

O panetone salgado vira essa fórmula pelo avesso, jogando sal naquilo que costuma ser doce. Talvez ele seja apenas o arroz com passas do mundo invertido.

(Siga e curta a Cozinha Bruta nas redes sociais. Acompanhe os posts do Instagram e do Twitter.)


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.



Fonte feed: Via Feed Folha de S.Paulo