segunda-feira, março 4, 2024

Prato Cheio | Os últimos dias do chocolate

Leia também

Guylian traz novidade em sua linha para Páscoa

A marca de chocolate belga aumenta seu portfólio com...

Inscrições abertas para a Meia Maratona 21k Sergipe Run

Consolidada como uma das mais importantes corridas de rua...

10ª Edição do Café com Case discute o direito à cidade

Organizado por estudantes do quarto período do curso de...

Quando o cacau virou produto, famílias do Sul da Bahia fizeram fortuna. Indígenas e agricultores sofreram desgraça. Até que uma praga chegou, e varreu tudo. Das ruínas surgiram assentamentos e florestas. E novas ideias sobre como respeitar o cacau para produzir um chocolate de alta qualidade. Enquanto isso, de diferentes partes vem o alerta: o chocolate está com os dias contados. 

O chocolate é um símbolo do fracasso das promessas do sistema alimentar guiado por corporações. Hoje onipresente, algumas décadas atrás ele nem poderia ser chamado de chocolate. A transformação do cacau em produto mudou a história de famílias e de toda uma região do Brasil. Décadas depois de conhecer as ruínas, esse setor tenta se reerguer, mas os caminhos ainda são incertos: repetir as táticas do passado ou se reinventar? 

Se a gente consome tanto chocolate, de onde vem tanto cacau? Não vem. Algumas décadas atrás, esse produto nem poderia ser chamado de chocolate. A mistura de açúcar com gordura fez do chocolate um produto global, e do cacau um enorme problema. Percorremos o Sul da Bahia para conhecer a fortuna de alguns e a desgraça de muitos. E para entender como algumas pessoas buscam repensar a relação com o grão e o chocolate. 

Fonte feed: Via Feed O Joio e o Trigo