25 maio2022

    Prato Cheio | Os últimos dias do chocolate

    Leia também

    Contagem regressiva para o show de Maria Gadú em Aracaju

    A cantora Maria Gadú está de volta a Aracaju...

    Supermercado realiza Festival de Marcas Exclusivas até dia 31 de maio

    São mais de 100 itens, incluindo alimentos, bazar, higiene...

    Um brinde ao café

    No dia Dia Nacional do Café, que tal celebrar...

    Rancho de São João RioMar

    RioMar Aracaju abre a temporada de festejos juninos e...

    Quando o cacau virou produto, famílias do Sul da Bahia fizeram fortuna. Indígenas e agricultores sofreram desgraça. Até que uma praga chegou, e varreu tudo. Das ruínas surgiram assentamentos e florestas. E novas ideias sobre como respeitar o cacau para produzir um chocolate de alta qualidade. Enquanto isso, de diferentes partes vem o alerta: o chocolate está com os dias contados. 

    O chocolate é um símbolo do fracasso das promessas do sistema alimentar guiado por corporações. Hoje onipresente, algumas décadas atrás ele nem poderia ser chamado de chocolate. A transformação do cacau em produto mudou a história de famílias e de toda uma região do Brasil. Décadas depois de conhecer as ruínas, esse setor tenta se reerguer, mas os caminhos ainda são incertos: repetir as táticas do passado ou se reinventar? 

    Se a gente consome tanto chocolate, de onde vem tanto cacau? Não vem. Algumas décadas atrás, esse produto nem poderia ser chamado de chocolate. A mistura de açúcar com gordura fez do chocolate um produto global, e do cacau um enorme problema. Percorremos o Sul da Bahia para conhecer a fortuna de alguns e a desgraça de muitos. E para entender como algumas pessoas buscam repensar a relação com o grão e o chocolate. 

    Fonte feed: Via Feed O Joio e o Trigo