8 agosto2022

    Amstel promove ação contra o racismo na Libertadores

    Leia também

    RioMar Astral: o evento faz parte das homenagens do shopping ao Dia dos Pais

    RioMar Astral Em sua terceira edição, o evento gratuito irá...

    Shopping Jardins Online presenteia o consumidor com vinho português

    Nesta segunda-feira, 8 de agosto, os pedidos a partir...

    Mamaço alerta para a importância da amamentação

    Iniciativa do Hospital e Maternidade Santa Isabel acontece nesta...

    Cerveja oficial da Copa Libertadores, a Amstel resolveu se posicionar na luta contra o racismo e promove uma ação que começa nesta terça (28), dia do início da fase aguda do torneio, com as primeiras partidas das oitavas de final.

    Ao lado do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, a marca criou o movimento Faça Barulho contra o Racismo. A ação convoca torcedores, jogadores, ex-atletas e formadores de opinião a não se calarem ao presenciar algum ato racista.

    O Observatório e o Projeto Primeira Pele Preta desenvolveram uma página oficial com o nome Barulho contra o Racismo (link aqui), que traz o Manual Antirracismo no Esporte e oferece uma assistência psicológica e jurídica para as vítimas do racismo.

    A cervejaria usará ainda suas placas de publicidade em campo para espalhar a campanha.

    “Nos unimos ao Observatório da Discriminação Racial no Futebol com o intuito de criar cada vez mais diálogo sobre esse tema e apoiar esta organização que compartilha de nossos valores e trabalha na construção de um futebol mais inclusivo e respeitoso”, afirma Vanessa Brandão, diretora de marketing no grupo Heineken, que abriga a Amstel em seu portfólio.

    “Não podemos aceitar que mais casos continuem acontecendo, e, por isso, precisamos quebrar o silenciamento e fazer barulho. Indo além das denúncias, a parceria com a Amstel vai servir para que possamos dialogar, prestar assessoria jurídica e psicológica às vítimas”, diz Marcello Carvalho, diretor do Observatório.

    Os casos de racismo têm aumentado no torneio nos últimos anos contra times brasileiros, que, coincidentemente, ou não, venceram as três últimas edições da competição —incluindo as duas últimas finais vencidas pelo Palmeiras contra rivais do país.

    Só nesta edição já foram registrados seis denúncias de atos racistas contra times brasileiros, de acordo com o site do Observatório, incluindo nos dois confrontos entre Corinthians e Boca Juniors, duelo que se repete nesta fase.

    Racismo contra brasileiros na Libertadores

    • 13 de abril: River Plate x Fortaleza
    • 26 de abril: Corinthians x Boca Juniors
    • 26 de abril: Estudiantes x Red Bull Bragantino
    • 27 de abril: Emelec x Palmeiras
    • 28 de abril: Universidad Católica x Flamengo
    • 17 de maio: Boca Juniors x Corinthians

    LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

    Fonte feed: Via Feed Folha de S.Paulo