8 agosto2022

    Nutricionista alerta: tempo de cozimento dos alimentos altera nutrientes e amplia contaminação

    Leia também

    RioMar Astral: o evento faz parte das homenagens do shopping ao Dia dos Pais

    RioMar Astral Em sua terceira edição, o evento gratuito irá...

    Shopping Jardins Online presenteia o consumidor com vinho português

    Nesta segunda-feira, 8 de agosto, os pedidos a partir...

    Mamaço alerta para a importância da amamentação

    Iniciativa do Hospital e Maternidade Santa Isabel acontece nesta...

    Ao preparar uma refeição, o tempo de cozimento dos alimentos é um item importante? Se a resposta for não, tenha cuidado. Cada tipo de alimento tem um período determinado de cozimento para estar pronto para consumo. O cozimento feito de forma errada influencia na quantidade de nutrientes que será ingerida daquele produto.

    Quando os alimentos são diferentes, o tempo de cozimento também precisa ser diferente. A nutricionista e professora da Universidade Tiradentes (Unit), Carla Sobral, explica que alguns alimentos podem diminuir ou aumentar de tamanho pela perda ou ganho de água. “As carnes são exemplos de alimentos que perdem líquido quando assados ou cozidos. Por outro lado, alimentos como arroz e feijão se hidratam e resultam em um rendimento maior. O tempo e a forma de preparo podem mudar o sabor do alimento, a exemplo dos preparos realizados em uma panela ou em uma grelha na brasa”, explica.

    O cozimento pode ser considerado inapropriado quando o alimento cozinha demais ou quando cozinha de menos. “Se você colocar um alimento para fazer o cozimento e passa o valor da temperatura que é padrão, ele queima e pode acabar produzindo substâncias tóxicas para o organismo. Assim como, quando cozinha de menos, a exemplo da carne de porco que quando não atinge a temperatura de cozimento adequada possibilita a contaminação. O ideal é que a pessoa que esteja preparando, saiba a temperatura ideal que aquele alimento deve ser cozido”, afirma a professora Carla Sobral.

    A tecnologia invadiu a cozinha e pode ajudar no processo de cozimento com utensílios que prometem preparos mais saudáveis e em menor tempo. “Hoje temos panelas elétricas ou que possuem revestimento interno que possibilita que frite o alimento sem que precise colocar uma quantidade excessiva de gordura. Porém esse tipo de utensílio não é acessível e ainda sai caro para a população”, ressalta a nutricionista.

    O que não se deve ter dúvida é que procurar um profissional da nutrição é essencial para quem busca uma estratégia alimentar com uma ingestão de nutrientes balanceada. “Diversidade é o ponto chave para um plano alimentar de sucesso, independente se foi pensado para um paciente doente ou um cliente que quer uma alimentação saudável, para atividade física. As refeições têm que envolver alimentos que vão sofrer diversos tipos de processos de cozimento, os que serão consumidos em natura e alimentos que eu vou misturar uns com os outros. O plano alimentar não é só colocar alimento de qualquer jeito, o nutricionista ele pensa também como esse alimento ele vai chegar no prato do cliente/paciente dele”, finaliza.

    Asscom Unit