quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Chef ensina o truque perfeito para temperar corretamente as saladas

Leia também

Aracaju recebe a exposição ‘O Fantástico Mundo Marinho’

Exposição "O Fantástico Mundo Marinho" chega ao RioMar Aracaju...

Pré-Caju 2024 será lançado no dia 22 de março

Durante a solenidade, serão anuciadas a programação e demais...

Semana do Cinema: Shoppings Jardins e RioMar terão sessões com ingressos a R$12

A promoção, idealizada pela FENEEC e a ABRAPLEX, acontece...

Nem todo mundo adora salada, é um fato. Mas, certamente, usar um tempero delicioso pode mudar tudo. O site português NiT falou com o chef Fábio Bernardino, cozinheiro residente no programa “A Nossa Tarde”, na RTP, que revelou os truques para conseguir um molho perfeito para seus verdinhos.

“Para temperar uma boa salada, nem sempre precisamos de exagerar nos condimentos, nem no próprio sal. A simplicidade é, por vezes, o nosso maior aliado”, disse ele ao site.

Fábio destaca que o clássico molho feito com azeite, vinagre, sal e pimenta é um bom lugar de partida, mas ressalta que variações muito interessantes podem ser feitas com o uso de ervas, como orégano, coentro e salsa fresca.

“Enquanto chef, diria que um bom tempero tem que ter na sua base uma fonte de gordura, um elemento ácido, ervas aromáticas e especiarias, além de outros condimentos como mostarda. A partir desse princípio, há múltiplas combinações”, afirmou.

No item gordura, fundamental para um bom molho de salada, o azeite de oliva e o óleo de gergelim são perfeitos. “No elemento ácido, usar desde um bom vinagre (vinho branco, vinho tinto, sidra, arroz, balsâmico) a suco de limão ou lima são possibilidades”, explica ele.

No quesito ervas e especiarias, o único limite é a criatividade do cozinheiro, já que as verduras e legumes aceitam muitas variedades de tempero. “Hortelã, manjericão, cebolinha e tomilho ficam excelentes numa salada. Conseguimos reduzir o teor de sal, dar mais sabor à receita e melhorar a nossa saúde”, indica.

Para o chef, não é necessário economizar na dose quando o quesito são as ervas frescas: pode ser generoso, sim. Já as especiarias precisam de algum controle na dose, para não sobressair demais no sabor do molho.

Por fim, o cozinheiro sugere o uso de outros condimentos, em particular a mostarda.

“Com esta base, podemos dar asas à imaginação e fazer combinações que vão de um bom vinagrete de maracujá ou frutas vermelhas, em que incorporamos uma fruta na base do molho”, sugere o chef.

Também dá para usar iogurte natural, para quem obter molhos mais cremosos e igualmente saudáveis, assim como a clássica cebola e o alho.

Fonte feed: Via Feed Revista Menu