quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Combate à violência contra a mulher é tema de ações educativas no RioMar Aracaju

Leia também

Aracaju recebe a exposição ‘O Fantástico Mundo Marinho’

Exposição "O Fantástico Mundo Marinho" chega ao RioMar Aracaju...

Pré-Caju 2024 será lançado no dia 22 de março

Durante a solenidade, serão anuciadas a programação e demais...

AGOSTO LILÁS

Iniciativas de combate à violência contra a mulher serão realizadas no RioMar Aracaju

Várias ações de sensibilização irão acontecer até o fim do mês, em parceria com a Cemise, Grupo JCPM e GMA

Agosto é o mês de conscientização pelo fim da violência contra as mulheres. Para fortalecer e dar maior visibilidade à campanha, o RioMar Aracaju se engaja na iniciativa Agosto Lilás e promove ações de conscientização no combate a todos os tipos de assédios contra a mulher. Seja nos banheiros femininos, no mall ou em atividades que envolvem parceiros, o empreendimento trará o assunto como pauta, reforçando a importância de debater a violência de forma transparente.

Com o objetivo de impactar a sociedade para esse propósito, entre as ações promovidas pelo empreendimento, de 18 a 31 de agosto, o shopping estará com a fachada iluminada na cor lilás.

A ação de sensibilização vai além, promovendo um chamado à atenção e ao cuidado com a saúde do público feminino, repercutindo o propósito do Agosto Lilás em prol do bem-estar da mulher.  O shopping também irá trazer a Guarda Municipal de Aracaju com a Ronda Maria da Penha, para conscientizar o público alvo sobre a importância da denúncia.

Ação Cuidados com a Saúde da Mulher

Em parceria da Clínica Cemise, nos dias 18 e 19 de agosto, das 10h às 22h, o shopping acolhe a ação ‘Cuidado com a Saúde da Mulher’, oferecendo um espaço onde o público feminino poderá interagir com especialistas na área da Saúde, como ginecologistas, mastologistas, oncologistas, enfermeiras e nutricionistas, para tirar dúvidas e receber orientações para uma vida saudável.

O espaço localizado próximo à Lojas Americanas, no piso L1, também irá ofertar exames rápidos de glicemia e aferição da pressão arterial, além da distribuição de material educativo. O atendimento será gratuito e exclusivo às mulheres.

Entre o time da Cemise, o público contará com as seguintes profissionais da saúde: Ildete Caldas, Patrícia Chaves e Giselda Barbosa (ginecologistas); Renata Montarroyos, Gildiane Rangel e Luciana Machado (mastologistas); Ingrid Conceiçao, Adair Morais, Bárbara Nunes e Heloísa Bittencourt (enfermeiros) e Rafaela Arce (nutricionista).

Ação promovida pelo Grupo JCPM

Para reforçar a campanha de combate à violência contra a mulher, a partir do dia 18, o RioMar Aracaju irá dialogar com o público feminino através de cartazes instalados em vários pontos do mall e nas portas dos banheiros femininos, incentivando a denúncia de assédio ou violência com informações importantes para a delação.

Na entrada B, próximo à Caixa Econômica, o piso será ilustrado com comportamentos abusivos que levam ao caminho da violência física, psicológica e moral, como forma de alertar as mulheres para condutas que escondem atitudes agressivas.    

Ação Ronda Maria da Penha

Nos dias 30 e 31 de agosto, das 10h às 22h em uma parceria com a Guarda Municipal de Aracaju (GMA), RioMar Shopping recebe a equipe que faz a Ronda Maria da Penha, que irá conscientizar, tirar dúvidas e orientar o público. A ação ficará instalada em frente ao Ceac, piso L1, e contará com a exposição da viatura utilizada nas ocorrências da RMP.

Sobre a Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006, surgiu da necessidade de inibir os casos de violência doméstica no Brasil. O nome foi escolhido em homenagem à farmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes, que sofreu agressões do ex-marido por 23 anos e ficou paraplégica após uma tentativa de assassinato. O julgamento de seu caso demorou justamente por falta de uma legislação que atendesse claramente os crimes contra a mulher. Hoje, a lei 11.340/2006 considera o crime de violência doméstica e familiar contra a mulher como sendo “qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial”.

Além de proteger mulheres em situação de violência e salvar vidas, a LMP pune os agressores, fortalece a autonomia das mulheres, educa a sociedade e cria meios de assistência e atendimento humanizado, bem como inclui valores de direitos humanos nas políticas públicas para o enfrentamento e combate à violência de gênero.

Fontes. https://www.institutomariadapenha.org.br/ e  Brasa – Brasil Saúde e Ação