terça-feira, março 5, 2024
Início Site Página 255

Guedes sugere dar “sobras” de restaurantes para combater a fome

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu nesta quinta-feira (17) que sobras de alimentos de famílias de classe média e restaurantes sejam doadas a pessoas em situação de vulnerabilidade.

O comentário foi feito durante uma live da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), na qual o ministro anunciou um projeto para flexibilizar a regra que trata da validade de alimentos no Brasil.

No evento, Guedes afirmou que os brasileiros exageram e deixam “uma sobra enorme” de comida nos pratos. Ele ainda fez uma comparação com os hábitos alimentares na Europa – segundo o ministro, os europeus fazem “pratos relativamente pequenos”.

“Você vê um prato de um classe média europeu, que enfrentou duas guerras mundiais, e nota que são pequenos, enquanto os nossos não. Há muito desperdício”, alegou.

“Toda aquela alimentação que não for utilizada durante aquele dia no restaurante, aquilo dá para alimentar pessoas fragilizadas, mendigos, desamparados. É muito melhor do que deixar estragar essa comida toda”, acrescentou.

Ele disse ainda que Guedes afirmou que o governo deve investir em infraestrutura e apoiar a agricultura familiar para combater a fome no País.

(*) Da redação da Menu

Fonte feed: Via Feed Revista Menu

Tiger: Grupo Heineken lança uma de suas maiores marcas globais no Brasil

O grupo HEINEKEN, segunda maior cervejaria do país, anuncia hoje seu principal lançamento do ano. A cerveja puro malte Tiger, uma das principais marcas globais do grupo, chega ao sul do país em julho e em agosto nas regiões sudeste e nordeste do Brasil.

Criada nas ruas de Singapura em 1932 e presente em mais de 50 países, Tiger é uma das cervejas mais internacionais da Ásia. Com mais de 40 prêmios internacionais (como o World Beer Cup e o Australian International Beer Awards).

O sabor intenso do puro malte combinado a refrescância da cerveja, tornam-na ideal para o paladar do brasileiro.

Pioneira no segmento de mainstream puro malte com Amstel, no Brasil desde 2015, o lançamento de Tiger tem como objetivo expandir a atuação do Grupo HEINEKEN neste mercado.

“Estamos muito contentes com o lançamento e ele reforça o nosso compromisso com o consumidor. Tiger é uma das cinco principais marcas globais do grupo e vai somar muito ao portfólio do Brasil, não poderíamos estar mais felizes por isso”, diz Maurício Giamellaro, CEO do Grupo Heineken.

“O mainstream é hoje o maior segmento do mercado brasileiro de cerveja, responsável por cerca de 62% do volume. No último ano, as marcas puro malte ganharam mais espaço e relevância, crescendo 39%, segundo dados da Nielsen, mostrando que o brasileiro busca opções que combinem acessibilidade com qualidade”, finaliza Giamellaro.

A cerveja no Brasil pretende atingir os young millenials ou zillenials, como também são chamados. “Tiger é uma cerveja que nasceu nas ruas de Singapura em 1932 e vem conquistando o mundo com coragem e otimismo.

É uma marca urbana, voltada para as pessoas que encaram de frente seus desafios, sempre olhando o copo meio cheio. Tiger é uma cerveja para celebrar nossas conquistas. Para a marca, não importa de onde você vem, mas sim aonde você quer chegar.

O produto chega ao Brasil em três versões: a lata de 350ml, a garrafa de 600ml e o draft beer, em barril de 50L. A cerveja será produzida no país, nas fábricas HEINEKEN de Pacatuba, no Ceará, e Itu, em São Paulo.

COMENTÁRIOS



Fonte feed: Via Feed Etílicos.com

Grupo Heineken e Agrária fazem parceria por malte sustentável

O acordo com a cooperativa visa atender à previsão de crescimento dos negócios do Grupo Heineken no país, e tem como contrapartida a compra de malte nos próximos dez anos. A instalação da maltaria será no estado do Paraná, na região dos Campos Gerais, por conta do clima propício para a plantação de cevada, com um potencial de plantio que pode atingir até 100 mil hectares por ano.

O projeto da nova maltaria é resultado da união de diversas cooperativas, liderado pela Agrária (Guarapuava – PR), unindo esforços com outros cinco parceiros experientes no cultivo da cevada: Bom Jesus (Lapa – PR), Capal (Arapoti – PR), Castrolanda (Castro – PR), Coopagrícola (Ponta Grossa – PR) e Frísia (Carambeí – PR). O início das atividades da maltaria está previsto para o ano de 2023. A fábrica deverá produzir 240 mil toneladas de malte anualmente, volume que hoje representa 15% da produção nacional, e tem previsão de gerar mais de mil empregos diretos e indiretos.

Jorge Karl, presidente da Cooperativa Agrária, reforça:

“Esse é um projeto construído a várias mãos, após uma série de estudos. A região escolhida para construção da maltaria é privilegiada, especialmente no que diz respeito à logística. Iniciamos essa empreitada de forma sólida, com base em critérios técnicos. Temos certeza que além de contribuir para o aumento da rentabilidade dos 12 mil produtores ligados às nossas cooperativas, também iremos beneficiar nossos parceiros comerciais.”

A parceria é estratégica para os negócios do Grupo Heineken, pois aumentará a capacidade de produção de suas marcas, atendendo a curva de crescimento de sua presença no mercado brasileiro. Segundo Mauricio Giamellaro, presidente do Grupo Heineken no Brasil, esse crescimento é reflexo dos esforços e investimentos que a empresa tem feito no país ao longo dos últimos anos.

“Nosso propósito, desde a chegada do Grupo Heineken no Brasil, tem sido transformar o mercado cervejeiro com marcas de qualidade e diferenciadas em todos os segmentos e preços. A excelente aceitação de nossas marcas e a crescente demanda por nossas cervejas premium e mainstream demonstram que esse caminho tem sido bem sucedido”, completa o executivo.

Além disso, o projeto será benéfico para a estratégia de ESG do Grupo Heineken, aumentando a presença de malte sustentável em sua produção. Entre as principais iniciativas está o Programa Agrária de Gestão Rural, que mune os cooperados com ferramentas e informações relacionadas à agricultura sustentável e certifica aqueles que garantem altos padrões de qualidade e segurança dos alimentos, além de aspectos de saúde, segurança e meio ambiente. A Agrária também possui a certificação FSA/SAI, por meio do Programa de Avaliação de Sustentabilidade Agrícola, uma das principais iniciativas globais de agricultura sustentável para a cadeia de alimentos e bebidas.

“Temos um compromisso muito claro com a sustentabilidade em toda a nossa cadeia produtiva e buscamos sempre melhorar nossos indicadores, com parcerias que nos garantam matéria prima de qualidade, segura e que respeita o meio ambiente. O acordo com a Agrária nos abriu a possibilidade de dar continuidade ao crescimento do nosso negócio e expandir a nossa produção de forma sustentável, com o benefício extra de investir ainda mais no mercado brasileiro com a compra de malte nacional” finaliza Mauricio Giamellaro.

Fonte feed: Via Feed Beer Art

Da roça à mesa: casal Rueda saúda alimentos brasileiros em sua premiada culinária

0

No CNN Viagem & Gastronomia* desse sábado (19), te convido a sentir a terra, ir comigo à roça e conhecer de pertinho o mundo dos chefs que ajudaram a mudar a cena gastronômica do centro de São Paulo e a colocar nossos ingredientes e alimentos na mira do mundo. Vamos juntos com Janaina e Jefferson Rueda ao sítio deles, o Sítio Rueda, em São José do Rio Pardo, no interior da capital, conhecer o laboratório de experiências gastronômicas do casal, onde plantam-se e nascem alimentos e ideias de receitas para A Casa do Porco Bar (39º colocado no ranking The World’ 50 Best Restaurants) e o Bar da Dona Onça. É de lá também que saem os ingredientes para o abastecimento e a elaboração dos deliciosos menus sazonais, sempre respeitando o tempo da natureza, o ciclo da agricultura. É bonito de ver!

No Sítio Rueda, consome-se o que planta, tudo direto do pé! (Foto: CNN Viagem & Gastronomia)

Você vai acompanhar também o trato com a criação dos porcos e o cuidado com as hortas agroecológicas, com espécies consorciadas, como repolho, rúcula e alface crespa, entre outras. Urucum, jambu e até urtiga também são encontradas no pedaço – todas plantas aproveitadas em receitas nada óbvias e apetitosas. Mangas, jabuticabas e o que mais vier do pé vão direto para os experimentos de Janaína, que passou a ser conhecida como “a licoreira”: os frutos são usados em seus licores e vermutes. A siriguela também tem seu momento e vira peça-chave de caipirinhas.

Mais do que frutas, legumes e proteínas, o casal Rueda quer imprimir uma nova cultura na gastronomia, que você vai conhecer em primeira mão: são os planos da dupla para a escola de culinária caipira, um espaço todo dedicado à experimentação desse novo conceito, em uma engrenagem sustentável. De volta à São Paulo, acompanhamos um dia na jornada atribulada de Jefferson no restaurante, um convite para aguçar os sentidos diante das delícias que saem de sua cozinha.
Vale contar que sob o comando do casal também estão o Hot Pork e a Sorveteria do Centro, ambos oferecem produtos 100% artesanais, deliciosos e fora do óbvio.

Janaína Rueda

Janaína Rueda (Foto: Thomas Baccaro)

Dona Onça. Apelido de infância que virou nome de um dos restaurantes mais badalados e reverenciados da cena gastronômica paulista e brasileira também. Janaína Rueda, restauranteira e cozinheira, como ela mesma se denomina, é o nome por trás do nickname e à frente da famosa casa no coração central de São Paulo. Nascida e criada no Brás, bairro do centro da cidade, Janaína comanda, ao lado do marido, quatro estabelecimentos na região. Seu primeiro negócio foi este, o Bar da Dona Onça, inaugurado em 2008 aos pés do Edifício Copan. Junto a ele, inaugurou-se também o movimento de retomada da área, que começou a ser revitalizada com a chegada de novos estabelecimentos.

Desde que abriu, a casa é um ponto de encontro de diferentes tribos, que flertam tanto com as mesas ao ar livre quanto com as distribuídas dentro do salão. No cardápio, criado com afeto e sabedoria popular brasileira, há pratos elaborados a partir de receitas de família e com ingredientes típicos de nossa terra: vale saborear os guisados caldosos, a famosa galinhada e outros preparos que acendem a memória afetiva dos comensais. Obrigatório pedir a coxinha acompanhado de alguma das suas incríveis caipirinhas de entrada.

E, ainda que cada um deles tenha sua própria personalidade gastronômica, todos tem o mesmo intuito: melhorar e transformar a alimentação da população, seguindo a filosofia de oferecer produtos artesanais de qualidade a preços acessíveis. Iniciativa tão certeira, que entre 2015 e 2019, a convite do Governo do Estado de São Paulo, Janaína trabalhou como voluntária no desenvolvimento do projeto “Cozinheiros pela Educação”, onde conseguiu transformar a merenda das escolas estaduais com a substituição de produtos processados e industrializados por alimentos in natura, além de ter treinado as cozinheiras para aplicarem esses ensinamentos no cardápio escolar.

Culinária premiada. Em 2020, Janaína recebeu o American Express Icon Award, eleita Ícone da América Latina pelo Latin America’s 50 Best Restaurants. A premiação celebra agentes da gastronomia que contribuem de forma notável para o setor, usando sua visibilidade para aumentar a conscientização sobre pautas importantes e promover mudanças positivas no meio. O prêmio reflete ainda o compromisso da chef com a comunidade que a cerca, considerando desde a sua participação no projeto de melhoria na qualidade da merenda escolar em São Paulo, até seus esforços contínuos para promover inclusão por meio da gastronomia.

Em junho de 2021, assumiu a presidência do Instituto Brasil a Gosto, fundado em 2006 por Ana Luiza Trajano. A fundação atua promovendo projetos que valorizem os ingredientes nacionais e garantam sua acessibilidade ao consumidor final, sempre trabalhando propostas que representem uma relação do homem com a natureza e reforcem nossa identidade cultural.

Jefferson Rueda

Jefferson Rueda (Foto: Marcus Steinmeyer)

Cozinheiro + Brasileiro + Caipira + Agricultor Familiar. É assim que o chef se classifica no seu instagram, conta que soma 184 mil seguidores. Natural de São José do Rio Pardo, interior de São Paulo, começou a carreira trabalhando como açougueiro, onde conquistou experiência no manuseio de carne bovinas e suínas. Formou-se no Senac, trabalhou em São Paulo e passou uma temporada na Europa antes de voltar para a capital paulista.

Depois de chefiar cozinhas importantes da cidade, e de passar por casas na Espanha, como El Celler Can Roca e Can Fabes e nas fábricas de embutidos Els Casals e Buti Fajas, se firmou no comando do Attimo, exercendo uma cozinha ítalo caipira, na qual ressignificava a culinária italiana unindo-a às tradições da comida do interior. Com suas preparações, a casa ganhou uma estrela no Guia Michelin, além de ter conquistado todos os principais prêmios nacionais. De lá abriu A Casa do Porco, em 2015, no Centro de São Paulo, restaurante autoral onde finalmente pôde unir sua vasta experiência às suas grandes paixões: porco, fogo e açougue.

Cozinha caipira brasileira com técnicas de vanguarda. Foodies, gourmets e curiosos de todos os cantos do Brasil e do mundo fazem fila, diariamente, para conhecer o cardápio da casa, onde o porco é o grande protagonista e a única proteína animal servida à mesa. Aproveitado do rabo ao focinho, o ingrediente principal se transforma pelas mãos habilidosas do chef em pratos refinados, como atestam o quibe cru de porco ou o já clássico sushi de papada. Esta cozinha essencialmente brasileira, inovadora, criativa e democrática rendeu ao espaço a 39º posição do ranking The World’s 50 Best Restaurants 2019 – atualmente o único brasileiro entre os 50 melhores – e a 4ª colocação na edição latino-americana do mesmo ranking.

Fechou 2019 angariando mais dois prêmios importantes: o melhor brasileiro no ranking francês La Liste, além de ter sido eleito um dos cinco endereços mais originais do mundo pela mesma instituição. Em 2020, estreou no The Best Chef Awards, na 79ª posição entre os melhores chefs do mundo.

Sítio dos Rueda

Sítio do casal Rueda (Foto: Daniela Filomeno)

É a 250 km da capital, em São José do Rio Pardo, que um portão de ferro com a placa “Rueda’s Sítio” dá as boas vindas para quem chega a um dos templos do casal Rueda. Na mesma cidade em que o chef d’A Casa do Porco nasceu e cresceu, os dois adquiriram um pedaço de terra que os transporta para a simplicidade que tanto gostam e aplicam em seus restaurantes no centro de São Paulo.

Assim como muitos que migraram da cidade para o campo, o Sítio Rueda foi comprado logo no início da pandemia e desde então tem servido como local de trocas e aprendizados. É como um grande laboratório a céu aberto, em que é preciso “absorver o que esse pedaço de terra nos dá”, como define Jeffim – apelido para os mais íntimos.

Não muito longe dali, é no Sítio São Francisco que os porcos servidos na Casa do Porco encontram-se. A questão do bem-estar animal é levada a sério. Eles são criados livremente, com alimentação natural, e as raças brasileiras convivem misturadas, entre elas Piau, Carruncho e Sorocaba. Assim, a criação dos suínos é acompanhada de perto por Jefferson, que lida com o ciclo e sabe a procedência exata do que será servido em seu restaurante.

Colocar o chiqueiro dentro do Sítio Rueda é uma das intenções do casal. De volta à propriedade, porcos, galinhas e tudo que é colhido da terra transformam-se em pratos recheados de afeto e sabor na cozinha aberta do sítio, apartada da casa principal, um traço de antigamente mantido pelos novos donos. Fogão a lenha, churrasqueira de tijolinhos aparentes e panelas espalhadas dão o tom do espaço de confraternização.

Os planos da dupla incluem dar mais rotatividade à propriedade: um restaurante e uma escola serão abertos ali, em meio a restos de construções que estavam abandonadas. O sítio então se presta a ser como uma oficina, em que Jeffim e Janaína pretendem levar funcionários dos restaurantes e estudantes para acompanhar o processo do “sítio para a mesa”. Afinal, como declara Janaina, “da natureza a gente vem, para a natureza a gente volta”.

*O programa CNN Viagem & Gastronomia vai ao ar todo sábado, às 21h, na CNN Brasil. A CNN está no canal 577 nas operadoras Claro/Net, Sky e Vivo. Para outras operadoras, veja aqui como assistir. Horários alternativos: domingo (20), às 03h50, 13h10 e 21h10; Segunda-feira (21), às 01h55. Ou veja a íntegra no nosso canal no Youtube.
_________________________________________________________________________________________________________________

 

Fonte feed: Via Feed Viagem e Gastronomia

Alimentação no Brasil piorou com inflação e pandemia, diz pesquisa

A inflação registrada no Brasil por causa da pandemia do novo coronavírus mudou para pior a alimentação dos brasileiros, afirma pesquisa da Kantar Consultoria. Segundo o estudo, os consumidores estão trocando itens como carnes e ovos por produtos ultraprocessados, que são mais baratos, porém pouco nutritivos.

O levantamento revela que o consumo de carne vermelha caiu 11%, em comparação como mesmo período de 2020. Já o presunto passou a frequentar a mesa de seis milhões de novos lares.

Hambúrgueres e salsichas, por sua vez, foram a opção de 2,7 milhões de famílias que antes não consumiam esses itens. A presença desses produtos sugere que os brasileiros estão deixando de fazer refeições completas e comendo mais sanduíches.

Ainda segundo a pesquisa, muitas pessoas começaram a levar marmitas de casa como uma forma de economizar. De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), os preços das carnes aumentaram 38% nos últimos 12 meses.

(*) Da redação da Menu

Fonte feed: Via Feed Revista Menu

Mulher ataca funcionários do McDonald’s por causa de raspadinha e vai presa; assista

Cherysse Cleveland, de 44 anos, foi presa nesta terça-feira (15) por atacar funcionários de uma loja do McDonald’s na cidade de Ravenna, no Estado de Ohio (EUA).

Segundo o site do canal de notícias 10WBNS, Cherysse ficou enfurecida porque os atendentes da rede de fast-food se recusaram a misturar três sabores de slushies, uma espécie de raspadinha bastante popular nos EUA durante o verão.

Decidida a conseguir a bebida, a mulher de 44 anos foi para trás do balcão e tentou fazer a mistura por conta própria. Ao ser impedida pela gerente da unidade de mexer na máquina de raspadinhas, Cherysse socou a gerente e outra funcionária.

A confusão, que foi toda registrada em vídeo, só terminou quando a cliente foi contida por outra empregada da loja. Policiais chegaram em seguida e prenderam Cherysse, que foi acusada de agressão e pequeno delito. Assista a seguir.

(*) Da redação da Menu

Fonte feed: Via Feed Revista Menu

Receita fácil de bolo de milho cremoso no liquidificador

0

Bolo de milho cremoso com queijo meia cura, por Julia Pimenta

Ingredientes

– 4 espigas de milho debulhadas
– 4 ovos
– 1 lata de leite condensado
– 1 lata de leite (mesma medida do leite condensado)
– 2 colheres (sopa) de manteiga
– 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
– 2 colheres (sopa) de açúcar
– Queijo meia cura ralado a gosto
– 1 pitada de sal
– 1 colher (sopa) de fermento em pó
– Manteiga e farinha de trigo para untar

Preparo

1) Preaqueça o forno a temperatura média (180ºC) e unte a forma com manteiga e farinha de trigo.
2) Bata todos os ingredientes no liquidificador, deixando o fermento por último.
3) Acrescente o fermento e misture delicadamente.
4) Despeje a massa na forma e leve ao forno até dourar.

Para servir

Deixe amornar e sirva a seguir.

Rendimento: 8 porções
Preparo: 1h
Execução: fácil

Fonte feed: Via Feed Revista Menu

Pratinho, uma instituição cearense. Por Marcelo Katsuki

0

Você já deve ter visto aquele pratinho descartável mais fundo, muito usado em festinhas para servir comidas cremosas, doces ou frutas. Mas sabia que no Ceará, principalmente em Fortaleza, ele define uma variedade de comida de rua, assim como temos o acarajé na Bahia e o yakisoba em São Paulo? Mas no pratinho, as opções são bem variadas.

Tudo começou com as barraquinhas de comida típica nas festas juninas. Chegava junho e surgiam as tendas com seus pratinhos repletos de canjica, mungunzá, paçoca, vatapá… Mas o apreço pelo pratinho foi tanto que agora é possível desfrutar dessa delícia durante o ano todo.

Segundo minha amiga cearense Izakeline Ribeiro, do Sabores da Cidade, a combinação clássica traz arroz ou baião de dois, paçoca de carne de sol ou farofa, vatapá de frango ou creme de galinha e salada. É possível completar com carne do sol e calabresa, mas daí já acho que vira pratão, rs.

Pratinho da Tia Célia (Íris Imagem/Sabores da Cidade)

O sucesso do pratinho é tamanho que existe até food truck especializado e versões gourmet feitas por chefs. Dá até para pedir pelo Uber Eats e pelo iFood com preços que variam de R$ 9,90 (mini pratinho com creme de galinha) a R$ 15,90 (baião com creme de galinha e calabresa acebolada). Os preços nas praças e calçadas costumam ser mais em conta.

E o que explicaria o sucesso do pratinho? Há muitos pontos favoráveis: o horário de funcionamento das barraquinhas, a variedade de ingredientes e combinações e a possibilidade de se comer algo caseiro de forma rápida e por um preço amigo. Sem falar da sua localização em espaços públicos. O pratinho é realmente uma comida muito democrática. Não se admire se um dia ele for reconhecido como patrimônio cultural e imaterial do Ceará.

Fonte feed: Via Feed Folha de S.Paulo

Vencedora do 1º MasterChef sonha assinar menu de companhia aérea

Vencedora da primeira edição do MasterChef Brasil, em 2014, a paulista Elisa Fernandes se dedicou totalmente à gastronomia e fez da cozinha sua profissão.

Para aperfeiçoar suas habilidades, Elisa morou por três anos na França, onde estudou na renomada Le Cordon Bleu de Paris e trabalhou em restaurantes do premiado chef Alain Ducasse.

No Brasil, a cozinheira comandou jantares fechados, deu aulas online e, em agosto do ano passado, abriu seu primeiro restaurante, o Clos Winebar, no bairro da Vila Madalena, em São Paulo, que aposta em pratos elaborados com ingredientes orgânicos e de pequenos produtores.

Mas os sonhos da chef não param por aí. Aos 31 anos, Elisa tem o desejo de melhorar um tipo de comida que não é exatamente famosa pelo sabor: as quentinhas de avião. “Quero assinar o menu de uma companhia aérea”, afirmou a cozinheira em entrevista ao portal da Band.

(*) Da redação da Menu

Fonte feed: Via Feed Revista Menu

Bolo de café com chocolate: fácil e fofinho

0

Aprenda a fazer esse prático Bolo de café com chocolate, uma receita simples e gostosa, daquelas que em poucos minutos está pronta para ir ao forno e deixar a sua casa com um aroma delicioso.

Esse bolo é muito fácil de fazer! É perfeito para a hora do lanche em família, ou para um café da manhã delicioso e até para um piquenique ao ar livre. Falando em piquenique, estamos na primavera e curtir um ambiente ao ar livre, pode ser a solução para respirar um pouco de ar puro e comidinhas gostosas podem ser o complemento perfeito para curtir esse momento. Veja algumas ideias de receitas para inspirar você: Panquecas americanas de buttermilk, Quiche de alho poró com gorgonzola, Bolo integral de maçã com granola e Biscoitos de alecrim com geleia.

Bolo de café com chocolate fácil e fofinho

Bolo de café com chocolate fácil e fofinho

Bolo de café com chocolate fácil e fofinho

Bolo de café com chocolate

Bolo de café com chocolate

Tempo de preparo:

Tempo de cozimento:

Autor: Eline Prando

Categoria: Bolos

Cozinha: Fácil

Palavras-Chave:

Bolo de café, Bolo de café e chocolate, Bolo de liquidificador, Chocolate, Como fazer bolo de café, Receita de bolo fácil,

  • 3 ovos
  • 1 e ½ xícara de açúcar
  • ¾ xícara de óleo de girassol
  • ¼ de xícara (chá) de chocolate em pó (50% cacau)
  • 1 e ¼ xícara (chá) de água quente
  • 6 colheres (sopa) de café solúvel
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  1. Aqueça o forno a 180°C.
  2. Unte e enfarinhe uma forma redonda com furo no centro de aproximadamente 24cm.
  3. Em uma tigela misture a farinha e o fermento e reserve.
  4. No liquidificador coloque os ovos, o açúcar, o óleo, o chocolate em pó e bata.
  5. Então, acrescente a água quente e o café e volte a bater.
  6. Misture os ingredientes líquidos aos secos, envolva mexendo com uma espátula e transfira para a forma.
  7. Leve para assar por aproximadamente 35 minutos. Faça o teste do palito, ele deve sair limpo.
  8. Pronto! Agora é só esperar o seu bolo de café com chocolate esfriar um pouco para desenformar.

3.5.3251

Em poucos minutos seu bolo está no forno assando e depois é só saborear esse bolinho simples, macio e delicioso.

Bolo de café com chocolate fácil e fofinho

Fez o bolo de café com chocolate na sua casa? Deixe um comentário no final desse post, me conte o que achou do resultado.

Bolo de café com chocolate fácil e fofinho

A receita vem do canal Isamara Amancio, com algumas alterações.

Gostou da receita do bolo de café com chocolate? Então salve as imagens nas suas pastas do Pinterest, assim você pode guardar e fazer na sua casa quando quiser.

Fonte feed: Via Feed Mel e Pimenta